segunda-feira, 27 de julho de 2009

Tirando as dúvidas para escrever de modo que o texto seja claro e, acima de tudo, lúcido

São muitos os que me perguntam o que torna um texto confuso, mas acho que a pergunta que deveria ser feita é: o que torna um texto mais claro, menos confuso?
Então, por antecipação e para sanar a dúvida dos que pretendem escrever boas redações, eu (que é um pronome pessoal reto, mas que, neste caso, dada a circunstância de que me refiro à minha própria pessoa, designa nada mais nada menos que eu mesmo, e mesmo é uma palavra que pode equivaler a um adjetivo, advérbio ou substantivo é um recurso de coesão que não costumo usar muitas vezes, por questão de gosto e por achar que o efeito de sentido que desencadeia em um texto não é de bom gosto estético, e neste caso uso palavra "gosto" para designar uma sensação, não relacionando-a ao paladar, como correntemente e na maioria dos casos é usada, e faço uso da palavra maioria aqui, referindo-me a uma grande parte númerica extensa com relação à ocorrência do termo e não no sentido de maioria e minoria social, sendo parte numérica uma expressão sobre a qual prefiro não discorrer muito, já que nunca fui muito bom em matemática, preferindo, então, ficar quieto com relação ao assunto, sendo que no uso da palavra relação não faço a menor referência a relação sexual e muito menos relação matemática, pois, como já foi dito, não sou muito bom com números, e digo números no sentido matemático, embora não seja meu forte, e não no sentido de apresentação circense, pois, embora eu muitas vezes seja feito de palhaço, nada tenho a ver com circo, apesar de gostar das trapezistas, não freqüento os que tenham animais, por razões ideológicas, e também faço uso do trema, que foi extinto com a reforma ortográfica, mas ainda faço uso dele, também por razões ideológicas, e ideologia é algo que não tenho capacidade para explicar) vou responder que algo que torna um texto confuso é o uso de parênteses muito extensos.

4 comentários:

  1. Quanto mais extensos os parênteses, mais tensos os textos aos aparentes parentes.

    ResponderExcluir
  2. Pô, fala logo, que eu que saber!

    ResponderExcluir
  3. Hehehe!!! Sensacional! "Boas" dicas, Ricardo! Bj, Tê!
    PS: A respeito da ironia _ que nada tem a ver com teu texto!!!!! _, ainda vou ter direito de empréstimo de algum exemplar da revista Bundas, conforme o prometido?
    Bj, Tê!

    ResponderExcluir
  4. Teresinha, tenho a velha coleção em casa à tua espera. Me manda um emeioul pra gente combinar como posso te entregar as (revistas) bundas.

    ResponderExcluir